quinta-feira, 29 de novembro de 2012

P649 - JANTAR DE NATAL




A Tabanca Pequena – Grupo de Amigos da Guiné-Bissau,ONGD
 Vai realizar um JANTAR DE NATAL aberto a todos os seus associados familiares e amigos, no próximo dia 8 de Dezembro, no Salão Nobre da Junta de Freguesia do Bonfim, ao Campo 24 de Agosto no Porto.


A animar o evento, estará mais uma vez o Rancho Folclórico do Porto, com o Grupo de Fados.

O Jantar será antecedido pela Reunião da ASSEMBLEIA GERAL da Associação, para discutir e votar o PLANO DE CONTAS para o ano de 2013

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

P648 - ASSOCIAÇÃO TABANCA PEQUENA - ENCONTRO ANUAL DE CONVÍVIO E SOLIDARIEDADE




A Tabanca Pequena – Grupo de Amigos da Guiné-Bissau,ONGD, vai realizar um ENCONTRO / CONVÍVIO aberto a todos os seus associados familiares e amigos, no próximo dia 22 de Setembro de 2012.

Alguns de nós cruzamos-nos às Quartas-feiras na Tabanca de Matosinhos. Outros há, que por razões pessoais, profissionais, da distância ou outras, raramente se comunicam.

Estamos unidos por laços de amizade e solidariedade que são a razão da existência da nossa Associação. Há que alimentar esta corrente que une tantos ex-combatentes da Guiné.


Os fundos conseguidos vão financiar a construção de mais um fontanário numa Tabanca do interior da Guiné-Bissau.

A parte da tarde será animada  por um conjunto formado por tabanqueiros  e seus amigos que nos vão deliciar com música popular portuguesa.




segunda-feira, 27 de agosto de 2012

P647 - SER SOLIDÁRIO


III Encontro da Passo Positivo – Enfermagem Humanitária.

O terceiro encontro da Passo tem como tematica a Enfermagem Humanitária. 
Será realizado dia 29 de Setembro de 2012 no Centro Escutista de S. Mamede de Infesta

 




A Palestra inaugural tem como tema “A Experiência em Portugal” de Letícia Fernandes (Passo Positivo ONGD).
 Ainda de manhã teremos um Mesa de conversação sobre o tema “Enfermagem Humanitária – Competências e Contextos”, terá como moderador, Salomé Prata e o comentador será Paulo Seixas. Os temas trazidos à mesa serão as “Competências da Enfermagem Humanitária” (Isabel Ferreira – Passo Positivo ONGD), a “Enfermagem Humanitária em contexto de Reabilitação” (Márcio Silva – INEM) e a “Enfermagem Humanitária em contexto de Saúde Mental” (Karina Oliveira – ACES Baixo Vouga).

Depois de um piquenique de convívio no parque da cidade, traremos à mesa o tema “Enfermagem Humanitária – Cooperação para o Desenvolvimento” que terá como moderador Rui Silva e comentador Arminda Costa. 

Tiago Vale (Centro Hospitalar do Porto) apresenta o tema “Colaboração com as Forças de Paz”, outros assuntos trazidos à mesa serão a “Gestão de doenças infecto-contagiosas” por Pedro Barros (Centro Hospitalar do Porto) e o “Testemunho in loco em São Tomé e Príncipe” de Joana Sanches (Médicos do Mundo ONGD). De seguida haverá espaço para Comunicações Livres e será feita a entrega de prémios.

O programa decorre das 9 às 17 e 15, hora a que se dará inicio à sessão de encerramento.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

P646 CONVÍVIOS DOS TABANQUEIROS

O hábito de periodicamente alguns dos tabanqueiros de Matosinhos  partirem à conquista de outros locais, outros costumes, outras comidas e outras bebidas está a transformar-se numa benquista realidade.
São desafios bem aceites ao sadio convívio e à camaradagem - Uma das boas coisas que se leva desta vida. 
 Desta vez vamos atabancar na QUINTA SENHORA DA GRAÇA, onde pontificam os queridos amigos Maria Luisa e Zé Manel ali para os lados da Régua, mais propriamente em Lobrigos. 
Para além da amizade que nos une a este simpático casal tabanqueiro, vamos saborear o saboroso cabrito que  só a Luisa sabe confeccionar e a bela pinga Pedro Milanos, com a garantia de uma visita guiada à Quinta e à Região se houver transporte.
Pretende-se formar um grupo que justifique o aluguer de um autopulman para nos podermos deslocar "à maneira".
Este encontro/convívio está marcado para o dia 9 de Setembro.
As marcações podem ser feitas na Tabanca de Matosinhos até ao dia 4 de Setembro.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

P645 - SER SOLIDÁRIO NA VIDA E NA MORTE

 

  Dia 24 de Agosto de 2012, em Valbom - Pinhel, homenagem póstuma a José António Mata da CART 6250, falecido em Bolama no dia 10 de Julho de 1972 (José Manuel Lopes)

 Do Camarada e grande amigo Zé Manel Lopes recebemos o pedido para publicação de mais uma acção de solidariedade e comunhão com famila de uma camarada  falecido na Guiné.

A minha Companhia, a Cart 6250, "Os Unidos de Mampatá", homenageou todos aqueles que caíram na Guiné. Falta cumprir a promessa com o José António Mata, natural da aldeia de Valbom, Concelho de Pinhel.

O José António faleceu no dia 10 de Julho de 1972, juntamente com o Alferes Figueiredo, de Viseu.
Deixou a mulher grávida duma filha que nunca veio a conhecer.
A mulher emigrou para Paris, onde a sua filha cresceu e ainda vive. Conseguimos o seu contacto e falamos-lhe da nossa intenção de homenagear o seu pai. A sua reação foi comovente, pois com a voz carregada de emoção me disse que ficaria muito feliz e que isso a ajudaria a preencher um vazio que sempre a angustiou, o não ter conhecido o Pai. Referiu ainda que estava ansiosa por conhecer os camaradas do pai, pois talvez pudesse ver em cada um deles um pouco do pai que nunca conheceu.

Emigrante em Paris desde criança, nem todos os anos vem a Portugal, mas este ano está cá, telefonou-me, aguarda a nossa visita e a tão tardia homenagem ao JOSÉ ANTÓNIO MATA.

Só foi possivel encontrar uma data, o dia 24 de Agosto (Sexta-feira), assim, quem puder estar presente será pelas 15 horas no cemitério de Valbom (Pinhel).

Será colocada uma lápide com um poema:

Gostava de vos falar
dos esquecidos
dos heróis que a história
não narra
que as viúvas choraram
mas já não recordam
daqueles
que nem tempo tiveram
para ter filhos
que os amassem
descendentes
que os lembrassem
daqueles que nunca
tiveram o dia do pai
vítimas de guerras
que não inventaram
em tempo que já lá vai
falar deles é prevenir
de guerras que possam vir
geradas pela ambição
dos que nunca morrerão
num campo de batalha.

Alguém sugeriu que seria bonito cada um levar uma recordação para a filha do José António. Eu levarei uma caixa do meu vinho, o Carvalho um ramo de flores, quem tiver uma foto do Mata seria uma optima prenda, um doce regional, etc,etc.

A todos os Unidos um abraço e aos que puderem ir, até ao dia 24.

O ponto de encontro poderá ser em Pinhel, num restaurante que se encontra depois da Zona Industrial à saida para Valbom.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

P644 - A ÁGUA POTÁVEL JÁ CHEGOU A CAUTCHINKÉ


Da Associação Tabanca Pequena – Grupo de Amigos da G.B recebemos o texto que se segue a dar conhecimento da abertura do 5º Poço de água potável na Guiné

Foi coroada de êxito a tentativa de encontrar água potável no subsolo da tabanca de Cautchinké no sul da Guiné-Bissau, para benefício da numerosa população com cerca de 100 crianças.

Segundo informações da nossa parceira na Guiné, a AD – Acção para Desenvolvimento, a ONGD local que promove a construção dos poços por administração direta, a  pedido da Tabanca Pequena,ONGD, o poço agora aberto no fim da estação seca, apresenta-se com água em quantidade. 

Foi uma excelente surpresa para a comunidade populacional, que só muito recentemente soube que alguém, cá de longe, tinha pensado nela e se tinha disponibilizado para financiar a construção de um poço e um fontanário para que a água ali tão perto pudesse beneficiar diretamente a população de Cautchinké.
Até há pouco tempo a água para consumo era extraída de um buraco existente a cerca de dois quilómetros para onde escorriam as águas das chuvas sem qualquer garantia de salubridade.

Agora, segundo a AD, a água recolhida a cerca de 15 metros de profundidade tem boa qualidade, com a garantia de alguma salubridade pelo filtro natural que a própria terra lhe concede e pelos cuidados no isolamento do poço para que as águas à superfície não escorram para o seu interior.

A segunda fase será iniciada no fim da época das chuvas com a montagem do sistema de elevação da água através da energia solar e do respetivo depósito para que possam ter água durante as 24 horas do dia.
 O poço em fase final de construção já com água lá no fundo
Preparada para a inauguração
 A água está a chegar!
 Para quem não acreditava eis que já há água na tabanca de Cantchinké

Seguiu-se a festa e havia uma boa razão para festejar.
 Até as crianças ajudaram na construção

segunda-feira, 2 de julho de 2012

P643 - A ÁGUA POTÁVEL JÁ CHEGOU A DJUFUNKO

FONTE DE ÁGUA NA ESCOLA EVA DE  DJUFUNCO

Do blogue da AD - Acção para o Desenvolvimento ONGD. chegou-nos a notícia.

Um poço em plena área deserta

Na tabanca de Djufunco, em pleno chão felupe, junto ao oceano Atlântico e à entrada do rio Cacheu, a TABANCA PEQUENA e a CAMARA MUNICIPAL DA MAIA, de Portugal, decidiram dar um importante apoio às crianças e alunos da Escola de Verificação Ambiental de Djufunco, para que passassem a dispor de água de boa qualidade e facilmente acessível.
 
A partir de agora, esta fonte vai permitir aos alunos beber boa água, fazer um viveiro de plantas frutícolas para plantar nas casas dos pais, criar um pomar de sombra na escola e melhorar a sua higiene e a da escola.

Esta escola foi vítima há um ano de um violento tornado, cujos ventos descobriram o telhado, estando agora em fase de reconstrução. A fonte de água serve assim de um forte estímulo a estas populações tão isoladas.

Este projeto foi desenvolvido graças ao esforço do Prof. Nuno Carvalho e aos alunos Sandra Ribeiro e Pedro Barros da Escola de ténis da Maia que com o apoio da Câmara Municipal da Maia organizaram um torneio de Ténis para obtenção dos fundos necessários.
 Recorrendo a um painel solar, uma bomba submersível e um disjuntor, temos água

                                      O professor da escola está orgulhoso

                   A expetativa e alegria contagiante dos alunos porque agora temos água na escola

segunda-feira, 25 de junho de 2012

P642 - CONVÍVIOS DE TABANQUEIROS

Como já vem sendo hábito, periodicamente grupos de Tabanqueiros abandonam o seu habitual habitat de Matosinhos e partem à conquista de outros locais, outros costumes, outras comidas.
Desta vez será no próximo Domingo, que se adivinha quente e ensolarado a convidar um passeio para os lados de Paredes, mais propriamente em Aguiar de Sousa.na QUINTA DO COSTA
(clica para ver).
Trata-se de um local muito aprazivel onde para além da boa comida e do belíssimo entorno se fala a linguagem dos velhos combatentes da Guiné já que o Baptista, seu proprietário é nosso camarada de gema.
Fica aqui um convite a todos que queiram juntar um belo passeio dominical a uma opíparo almoço e à confraternização entre velhos camaradas de armas.
Aqui vai a ementa para aguçar o apetite


EMENTA
APERITIVOS

Croquetes de vitela
Rissóis de camarão
Bacalhau desfiado
Panadinhos
Orelheira com molho verde
Presunto
Salpicão caseiro

Azeitonas
Rojoezinhos
Moelinhas com molho
Dobrada na caçarola
Pataniscas de bacalhau
Etc.etc…

Consume de legumes
COZIDO À PORTUGUESA, VERDADEIRAMENTE CASEIRO
SOBREMESAS
Fruta natural
Fruta laminada
bolos variados

Café e digestivos
Aguardente velha
Bagaço feito na quinta
Licor
Como digestivo especial temos o bom trato dum amigo da Guiné, BAPTISTA que vos receberá de braços abertos.
O preço, por pessoa será de 25 Euros
No site
poderás encontrar a localização da Quinta, assim como informação sobre a mesma
O almoço está marcado para as 12H: 30 M
A parte da tarde será preenchida com muita música, interpretada por elementos da Tabanca Pequena de Matosinhos e pelo nosso camarada Baptista
As inscrições poderão ser feitas para o Vitorino Silva  telem 916193495 ou Peixoto telem 919528053 ou no Blogue TABANCA PEQUENA MATOSINHOS


segunda-feira, 4 de junho de 2012

P641 - SER SOLIDÁRIO

 Da nossa amiga Natália, e grande amiga da Guiné-Bissau recebemos a seguinte mensagem:

Grandes Amigos,

A ONG VIVER 100 FRONTEIRAS, da qual vocês tem sido grandes parceiros e colaboradores de missões ao longo destes 3 anos, vai-se juntar ao FESTIVAL NACIONAL DA ALHEIRA, que se realiza a 6,7 e 8 de Julho, no Estádio do Lusitânia de Lourosa.

Este espectáculo tem por objectivo além da construção de um campo de futebol sintético para os juniores, a construção de uma escola de formação profissional na Guiné Bissau.

Assim sendo assumimos a responsabilidade de vender 10 mil bilhetes/passaportes, os qual nos irão ajudar a atingir o nosso objectivo em causa.

O custo do passaporte é de 12,99€, para os espetáculos dos 3 dias incluindo o do Tony Carreira, Herman José e Quim Barreiros, além de 2 bebidas gratuitas incluídas no mesmo.

Sei que nos poderão ajudar e é isso mesmo que aqui lhes estamos a pedir, publicitar junto dos vossos colaboradores a existência deste espectáculo, de forma a nos poderem comprar os bilhetes.

Certos da vossa colaboração, aqui vão os contatos, para que possam solicitar a entrega dos passaportes.

Abraço

Natália – 917225588
Patrícia – 934309045
Frederico - 917800461

Será uma oportunidade de juntarmos o prazer de um bom espectáculo à solidariedade com os jovens da Guiné-Bissau.

Não deixem de participar.


domingo, 3 de junho de 2012

P 640 - A TABANCA DE MATOSINHOS TEM INSTALAÇÕES RENOVADAS



O RESTAURANTE MILHO REI RENOVOU AS INSTALAÇÕES PARA MELHOR RECEBER


Em 2005, surgiu do nada, a ideia da tertúlia de Matosinhos, ou melhor, de uma sardinhada semanal a três compinchas que assim solidificavam uma nova amizade criada a partir de uma viagem de saudade à Guiné.

Fenómeno estranho que merece ser estudado. Ou... talvez uma necessidade de os combatentes se redescobrirem, comunicarem pessoalmente, contarem e vivenciarem de novo as suas aventuras desventuras, sofrimentos e alegrias. O certo é que o grupo começou a crescer, a crescer... .

Ao fim de algum tempo alguém teve a feliz ideia de batizar este grupo. que já ia nos 15 comensais em média por semana,  como TABANCA PEQUENA DE MATOSINHOS.

Foi crescendo ao ponto de ter de mudar de poiso, dado que as instalações do restaurante, junto ao porto de Leixões se tornaram exíguas. Não foi fácil localizar um restaurante com condições de acolhimento para tanta gente, que transforma semanalmente a sala num refeitório barulhento com tantos magalas. 

 

O Restaurante Milho Rei, na Avenida Heróis de França (dizem que a Câmara Municipal de Matosinhos está a pensar seriamente em alterar o nome para Avenida Heróis da Guiné) foi o escolhido. Em boa hora.

 

Uma sala com as condições ideais para esta gente que não se conhecia de lado nenhum. Apenas nos une um factor comum - Vivemos a Guerra Colonial na Guiné - mas que, logo depois de uns segundos de apresentação, parece que já somos velhos amigos. Tantas picadas trilhadas em tempos diferentes, tantas aventuras vivenciadas nos mesmos locais, tantas pessoas nativas com quem partilhamos... e assim se inicia uma amizade talvez diferente das habituais, solidificada com o recordar de velhos tempos, no meio do sabor de uma sardinha ou de um copo de tinto. 

 

Outro fenómeno está a surgir. Pequenos grupos que se encontram à quarta-feira no Milho Rei e aí organizam outros tipos de convívios a pretexto de um bom petisco algures ou uma boa pinga, um passeio, ou visita turística, etc. "As Tabanquinhas"

 

Daqui a ideia progrediu. Hoje há tabancas por esse país fora. Os motivos variam, pese embora estejam de algum modo centradas no petisco e na convivência sadia.

 

Ultimamente surgiram as Tabancas no Facebook- Outra forma de comunicar e unir combatentes - Por terras ou regiões, por especialidades, por companhias ou outras motivações, certo é que este fenómeno, o mais recente está em crescimento.

 

Ouso afirmar, com risco de "levar na tabuleta" que a culpa é do Luís Graça e da Tabanca de Matosinhos.

 

O Sr. Silvério, proprietário do Restaurante Milho Rei, entendeu que os tabanqueiros mereciam melhores condições para celebrarem a sua festa à quarta-feira. Vai daí toca a mandar-nos embora por uns tempos (diga-se de passagem que fomos muito bem acolhidos no Restaurante do Centro Hípico do Porto) e toca a fazer obras.

Ficou bonito e acolhedor o nosso poiso semanal e a petiscada é convidativa como sempre.

Estão a chegar as sardinhas. Vamos a elas! 

 

 

 

O Sr. Silvério não sabe onde se meteu. Com as condições que nos proporcionou corre o risco de a procura por parte de combatentes na Guiné ser tão elevada que tenhamos de mudar novamente de poiso.

 

Juntamos algumas fotos para apreciação dos bloguistas e deixamos um convite, venham até à tabanca de Matosinhos.

Zé Teixeira

sexta-feira, 1 de junho de 2012

P639 - Falecimento de mais um camarada

A Hora da Glória chegou para o nosso querido camarada Manuel de Almeida Andrade. 


Depois de prolongada doença o Professo Andrade deixou-nos.


A ele ficaremos sempre ligados pelo seu entusiasmo e pelos excelentes momentos de alegria que nos proporcionou com o seu extraordinário jeito para a música.


À família enlutada o nosso mais sincero sentimento de saudade.


Ao Andrade, que descanse em paz.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

P637-"Compêndio" da Guerra está de volta às livrarias



MARCAS DA GUERRA COLONIAL

«Compêndio» da Guerra
está de volta às livrarias


O livro MARCAS DA GUERRA COLONIAL voltou aos escaparates, vítima involuntária de um processo de insolvência em que a sua editora se viu envolvida durante os últimos três anos.

As “Marcas”, da autoria de Jorge Ribeiro, permaneceram – em conjunto com todos os títulos da Editora Campo das Letras – fora dos circuitos de comercialização por ordem judicial e enquanto o processo não foi concluído.

A partir de agora, os exemplares em stock podem ser adquiridos em Lisboa, na Livraria Círculo das Letras, à Rua Augusto Gil, 15 B (ao Campo Pequeno), telf: 210938753 livraria@circulodasletras.pt, e no Porto na Livraria da UNICEPE, na Praça de Carlos Alberto, 128 (esquina com a Praça dos Leões), telf: 222056606 Unicepe@net.novis.pt.

“Marcas da Guerra Colonial” (1999) foi objecto de duas edições, e revelou-se cedo uma fonte extraordinária de consulta para o estudo da guerra em África, referência em inúmeros trabalhos académicos e na Imprensa. Um antigo ministro da Educação, Marçal Grilo, chegou a considerar as “Marcas” como obra imprescindível nas bibliotecas escolares.

Segundo o escritor Jorge Ribeiro, «as Marcas abordam questões pouco discutidas, aprofunda outras com dados nunca revelados, e recolhe um vasto leque de opiniões de figuras da nossas História recente, capazes de facilitar um juízo mais claro e correcto do que foi a empresa de guerra que o colonialismo português produziu no Ultramar».

Capítulos: «Os Dias da Raça», «Os Estropiados», «As Doenças», «As Tropas Auxiliares», «As Mulheres na Guerra», «A Igreja e a Guerra», «A Guerra Química», «Os Crimes de Guerra», «O Natal do Soldado», «As Canções da Guerra», «A Camaradagem».




segunda-feira, 14 de maio de 2012

P636 - MEMORIAL DE GUILEDJE E A HISTÓRIA RECENTE DA GUINÉ-BISSAU


MEMORIAL DE GUILEDJE   
UM DESAFIO NA CONSTRUÇÃO DA HISTÓRIA DA GUERRA COLONIAL/ GUERRA DA LIBERTAÇÃO
(LIVROS  - DOCUMENTO -  REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS) PRECISAM-SE.

 A AD- Acção para o Desenvolvimento ONGD , decidiu há cerca de 4 anos criar o “Memorial de Guiledje”, um espaço museológico onde todos os que por lá passaram, guineenses, cabo-verdianos, portugueses e cubanos, o sintam como um local onde as suas memórias são preservadas e valorizadas.

 "Manga di ronco" no dia da inauguração do Memorial em 2008
 
Este núcleo museológico pretende dispor de uma biblioteca onde todos poderão encontrar livros, documentos e referências bibliográficas do período colonial, que poderão igualmente facilitar o trabalho de pesquisa que se venha a fazer sobre esta época da vida da Guiné-Bissau e Portugal.


A Associação Tabanca Pequena – Grupo de Amigos da Guiné-Bissau, aceitou fazer uma parceria com a Ad no sentido de angariar Livros e Documentos que de algum modo se reportem à Guerra colonial na Guiné a fim de encher as estantes do Memorial de Guiledje.

Chegou a altura de darmos uma “mãozinha” ao povo da Guiné-Bissau, ajudando-o a construir as bases da sua história na luta pela libertação através da oferta de livros escritos sobre a guerra e demais documentação existente.
A Tabanca Pequena, assume a responsabilidade de a fazer chegar ao destino. 

Apelamos a todos os camaradas que tenham editado livros, a todos os camaradas que tenham livros em seu poder e possam dispensar, a todos os camaradas que tenham documentos oficiais e outros que possam fornecer fotocópias dos mesmos.
Façam-nos chegar à Tabanca Pequena ONGD , ou à tertúlia da Tabanca de Matosinhos que se reúne todas as semanas no Restaurante Milho Rei




 TABANCA PEQUENA – Grupo de Amigos da Guiné-Bissau, ONGD

tabancapequena@gmail.com
www.tabancapequena.com